Coluna da Anny Caroline: Siga o seu coração

Escrito por Fernando Carvalho (Paraíba) em 19 março 2012 | 21:31

Não, nada impossível será, siga o seu coração; Seu sonho se concretizará, siga o seu coração... ♫

Este é o trecho da música de um filme que assisti durante minha infância (de 6 a 8 anos de idade, se não me engano). A Polegarzinha é o nome. A história de uma menina pequenina, do tamanho de um polegar, que sonha em fazer grandes coisas, ganhar asas e voar.
Parece bobo... Mas isso veio à tona na minha memória (quase 15 anos depois) em um dos dias mais importantes e marcantes da minha vida: 17/03/12, minha formatura. Fiquei responsável em ser oradora das turmas de Jornalismo (meu curso) e Publicidade e Propaganda.
Sou daquelas que apesar de ter estudado tanto Comunicação, ainda sente um gelinho na barriga quando vai falar em público. Isso se dá também, pelo respeito que tenho por quem me assiste, pois as pessoas julgam como querem.
Será que devemos pensar nessas coisas ou simplesmente seguir nossos corações quando tivermos uma mensagem importante para passar ou algo relevante a fazer?
Fiquei tranquila, pois percebi que escrevi um discurso sincero, comprometido com os formandos, professores, universidade, familiares e amigos presentes naquela ocasião. Enviei mensagens positivas para minha mente, não deixei nada me abalar. Não havia o que temer. Não fiz suposições de catástrofes. Tem gente que só pensa no que pode acontecer de ruim, eu só pensei no que poderia acontecer de bom.
Uma coisa importante que fiz anteriormente foi enviar meu discurso para a Viviane Bevilacqua, professora e cronista do Diário Catarinense. Ela disse que o texto estava “lindo e emocionante”. Isso me encheu de segurança.
Outro fato: tenho um gatinho branco em casa, chamado Snow. Com uma das mãos eu brincava com ele enquanto ele arranhava e mordia muito, (às vezes doía um pouquinho, mas isso simbolizava qualquer tipo de distração que viesse a ocorrer). Com a outra mão eu segurava meu discurso e lia em voz alta. E o melhor... Sem errar! Foi legal.
Mais uma coisa: sem querer, sem a intenção de filosofar, olhei para os meus pés no grande dia. Comprei este sapatinho da foto. Tem um coração nele, e meio que fechou com meu pensamento “siga o seu coração”. Para onde meus pés fossem o coração estava junto.
Fiquei muito tranquila na hora do discurso. Em momento algum tremi, ou senti a garganta secar, ou meu coração acelerar... Só me emocionei um pouco, de tanta alegria, em ver meus colegas, as famílias, os professores... Chorei sim. Mas estava equilibrada o suficiente para não deixar isso me atrapalhar ou transparecer muito, em consideração à confiança depositada em mim. A Polegarzinha só seguiu o coração, ganhou asas e voou alto.

0 comentários: