Coluna da Anny Caroline - O passado ainda é bem presente

Escrito por Fernando Carvalho (Paraíba) em 28 fevereiro 2012 | 19:44

Cena do filme
O passado ainda é bem presente


A recente prova concreta de que isto é verdade, foi a premiação da Comédia Romântica “O Artista” no Oscar 2012. O passado ainda merece destaque. Merece sim!

O filme conta a história de um ator em declínio e uma atriz em ascensão enquanto o cinema mudo sai de moda, sendo substituído pelo cinema falado e se passa em Hollywood entre os anos 1927 e 1932. Não desistindo de fazer o cinema mudo (sua grande paixão), George Valentim começa a dirigir, roteirizar e protagonizar seus próprios filmes. Pouco tempo antes da decadência conhece uma linda mulher que, naquela época, começava uma carreira como atriz e acaba se tornando um grande amor, além de responsável pelo declínio do cinema que tanto ama.
Pela primeira vez desde que “Asas” levou o troféu l em 1929, um filme mudo recebeu o prêmio máximo de Hollywood. A homenagem ao cinema americano do começo do século XX, O Artista ganhou o Oscar de Melhor Filme na cerimônia realizada no último domingo (26), em Los Angeles.
Com certeza esta obra quebrou muitas barreiras. Fazer uma produção estilo início do século XX em plena era da tecnologia foi o primeiro tabu a ser quebrado. Depois, com apenas algumas falas nos minutos finais, o filme franco-belga foi a primeira produção de um país de língua não inglesa a ganhar o prêmio principal em 84 anos de Oscar. Desconfio que o fato de homenagear o início do cinema americano ajudou bastante neste quesito.
O Artista é uma verdadeira declaração de amor ao cinema. A trilha sonora é praticamente um personagem coadjuvante escondido em meio o preto e branco da tela. Esta é a magia do cimena mudo.
Acima de tudo, foi dado ao passado o valor que ele merece. Se o passado não for ressaltado, seremos como filhos deserdados, sem história. Pois a vida é feita de momentos, e estes não valeriam nada se mais tarde, não pudéssemos recordá-los. O passado é a testemunha de fatos, outrora cheios de vida, que agora são só lembranças cheias de emoção.

0 comentários: